sábado, 16 de março de 2013

Marconi Perillo corrompeu a mídia?

Por Altamiro Borges

Nesta semana, o jornal Diário de Anápolis divulgou que o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) acaba de processar mais um jornalista. É o nono profissional da imprensa conduzido ao banco de réus desde a descoberta do esquema mafioso de Carlinhos Cachoeira, que enlameou todo o governo de Goiás. Além dos jornalistas, o tucano também já processou blogueiros, tuiteiros, sítios e veículos de comunicação em 16 ações judiciais que tratam de supostas ofensas à honra do chefão do Palácio Pedro Ludovico.

Vale-Cultura não é da TV Globo

Por Altamiro Borges

A pressão social muitas vezes consegue reverter péssimas ideias dos governantes. Nesta terça-feira, a ministra Marta Suplicy anunciou que desistiu de incluir a TV por assinatura no programa Vale-Cultura. “Foram fundamentais os encontros que tive nos fóruns de cultura em Porto Alegre e Belo Horizonte, com mais de 500 pessoas. Sou uma pessoa que escuta. Coloquei argumentos a favor e ouvi também os contra. Fui pesando e decidi, então, que vamos focar no teatro, na música e no livro”, afirmou durante um evento em São Paulo.

Merval e a falta de pudor dos juízes

Por Altamiro Borges

Para quem duvida do pacto firmado entre os barões da mídia, a oposição tucana e setores do Judiciário, a foto do lançamento do livro “Mensalão”, do jornalista Merval Pereira, nesta semana em Brasília, é bem emblemática. O “imortal” da Academia Brasileira de Letras e fiel escudeiro da famiglia Marinho aparece ladeado pelo senador mineiro Aécio Neves, o cambaleante presidencial do PSDB, pelo ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres de Britto, e pelo sinistro Gilmar Mendes.

O lobby midiático pela alta dos juros

http://pigimprensagolpista.blogspot.com.br/
Por Altamiro Borges

As políticas de “austeridade” neoliberal desintegram a Europa, com recordes de desemprego, suicídios e outros dramas sociais, mas a mídia rentista não desiste da sua cruzada pela retomada da alta dos juros no Brasil. Nos últimos dias, os jornalões e emissoras de tevê intensificaram o lobby para pressionar o Banco Central a elevar a taxa básica de juros, a Selic. Os chamados “analistas de mercado” – nome fictício dos porta-vozes dos agiotas financeiros – foram escalados para bombardear a sociedade num coro uníssono e repetitivo.

O jogo matreiro de Gilberto Kassab

Por Altamiro Borges

Na fundação do PSD, o ex-prefeito Gilberto Kassab teorizou que o seu partido “não é de esquerda, nem de direita e nem de centro” – quase a mesma tese “pós-moderna” defendida por Marina Silva na criação da Rede. Esta definição serve para muitas coisas, inclusive para justificar o pragmatismo exacerbado. No caso do ex-demo, ela possibilita que o novo partido faça acordos com a oposição e a situação, num jogo matreiro do vale-tudo. Isto ficou nítido nesta semana, quando Kassab deu um fora em Dilma Rousseff. 

Lula entra na briga por São Paulo

Por Altamiro Borges

A propaganda do PT paulista veiculada na rádio e tevê na quarta-feira (13) deve ter deixado muitos tucanos preocupados. Nela, o ex-presidente Lula foi a principal estrela e insinuou que pode vir a disputar o governo estadual em 2014. “Temos sido o partido que mais fez pelo Brasil. Está na hora agora de a gente ser o partido a fazer mais por todo o estado de São Paulo”, afirmou no comercial de 30 segundos. A presidenta Dilma também foi escalada e falou das recentes reduções da conta de luz e dos impostos da cesta básica.

Sardenberg prega privatizar Petrobras

Por Altamiro Borges

Com grande alarde na mídia, o PSDB realizou nesta semana um evento para discutir a “crise” da Petrobras. Na maior caradura, Aécio Neves, o cambaleante presidenciável tucano, defendeu “reestatizar” a empresa. Nas entrelinhas, porém, ele deixou escapar que prega o retorno das concessões de petróleo e é contra o modelo de partilha no pré-sal – que garante maior soberania ao Brasil. Na prática, os tucanos gostariam que a Petrobras se chamasse Petrobrax e que fosse privatizada. O que eles não têm coragem de explicitar por motivos eleitoreiros, o jornalista Carlos Alberto Sardenberg escancarou em artigo ontem no jornal O Globo.